Focus Group: A vez dos perfumes

Focus Group: A vez dos perfumes
Packing Cosmética conversou com 10 consumidores de perfumes e descobriu seus principais critérios na hora da compra. Embalagens funcionais, resistentes e bonitas estão entre os principais desejos


Nenhuma categoria de produtos que já figurou nesta seção teve a sua embalagem tão elogiada como a escolhida para essa edição do Focus Group. Dessa vez, dez entrevistados foram ouvidos sobre a relação delas com os perfumes. Todos os participantes afirmaram não ter grandes problemas com a embalagem das suas fragrâncias, não importa se são nacionais ou importadas. Trata-se de algo novo na comparação com as categorias abordadas nas edições anteriores. Dentre muitos elogios, apenas algumas ressalvas e observações foram feitas, e a Packing mostrará quais foram.

Usar perfume diariamente tornou-se - ao longo do tempo - um hábito corriqueiro na vida do consumidor local. Segundo pesquisas realizadas pela Mintel, em 2013, 90% dos brasileiros compram perfume regularmente e 84% afirmam usar o produto com frequência. A nossa relação com os cheiros é tão forte que o perfume,ao contrário do que acontece em boa parte do mundo, por aqui é um item indispensável na vida de todos. “Eu me sinto até meio nu quando saio sem perfume, parece que está faltando alguma coisa. Eu uso todo dia e me asseguro de escolher perfumes que ficam na minha pele até a hora que eu volto pra casa”, revela Andrei Carvalho, estudante de 18 anos.

Além de usar perfume diariamente, muitas pessoas os separam por ocasião, ou de acordo com a temperatura e o clima. A produtora de eventos Isabel Geoello, de 47 anos, explica: “Eu uso pelo menos duas vezes ao dia, cada um no seu horário. Escolho de acordo com a ocasião, se for um dia de verão, passo um mais fresco. Pra sair à noite, já utilizo um mais forte. Até pra dormir eu uso, saio do banho e passo um mais levinho, mas não fico sem perfume”. A consultora de estilo e beleza de 32 anos, Giórgia Wanah, vai além e pontua que o perfume é mais do que um simples aroma, ele também é importante para assinar olfativamente um look. “É uma forma de contar para as pessoas um pouco sobre mim, como estou me sentindo ou me enxergando naquele dia”.

Diversos tipos e formatos
Os perfumes com válvula pump são quase unânimes na preferência dos entrevistados. Dos 10, apenas um respondeu também gostar do frasco que não contém aplicador e possui o bocal aberto. O dentista de 29 anos, Dení Garbelini justifica: “Quando o perfume é mais forte, marcante, eu prefiro os que têm embalagem de vidro e sem o spray. Acho mais prático, porque às vezes o spray espirra demais, daí fica um pouco exagerado. Então, eu consigo controlar melhor a quantidade que sai. Agora, se for um perfume mais fresco, suave, do dia a dia, tudo bem se for spray. Quando eu vou escolher um perfume pra comprar, eu sempre me atento a isso”.

Sem controle
A reclamação mais recorrente dos entrevistados do Focus Group foi em relação ao jato, ou a possíveis defeitos apresentados nas válvulas de seus produtos. “Eu tenho um perfume que simplesmente não uso porque o spray é ruim. Ele sai muito pouco, e de tanto ter de apertar várias e várias vezes, a válvula até estragou. Já tive problema com a válvula de outros perfumes também”, afirma a analista comercial Jéssica Gonçalves, de 25 anos. Giórgia corrobora: “Eu tenho um perfume maravilhoso, mas o jato é terrível. Ele parece não ter jato, porque escorre, é uma porcaria, até parei de usar. Você aperta naquela expectativa... E o perfume escorre no dedo”. Ainda sobre esse aspecto, para Isabel, os produtos importados são melhores, pois o líquido sai fino e numa quantidade bacana, já o nacional parece sair mais grosso, como se fosse pingar. Para ela, o ideal é quando o jato sai fino, e assim, consegue alcançar mais partes do corpo. (nota do editor: algumas válvulas pump liberam um jato que faz efeito névoa, se espalhando melhor)

Na contramão de possíveis problemas com a válvula, Andrei descreve como é sua embalagem preferida: “A melhor pra mim é a de um perfume de spray que a válvula é fixa, ela não gira. Ele não é daquele tipo que tem a bolinha no topo, e que às vezes ela roda e se você estiver no escuro você pode até errar o lugar. Ele é estável, e por isso é a melhor”. (nota do editor: nesse tipo de  embalagem, o atuador é integrado ao frasco).

Para Dení, o aspecto mais importante de uma boa embalagem é sua praticidade, e segundo ele e alguns participantes, as marcas brasileiras deveriam investir em mais tamanhos para um mesmo produto, assim como já acontece com perfumes importados. Ele explica que frascos menores são mais práticos de carregar, e muitas vezes há o desejo de reaplicar o perfume durante o dia. Catarina da Silva, administradora de empresas de 29 anos é uma amante do produto (possui quase 20 tipos diferentes), nunca teve problemas com nenhuma embalagem, mas concorda: “A única coisa que eu acho ruim é quando o frasco é muito grande ou pesado, daí é ruim de carregar na bolsa”.

Outro quesito fundamental é o formato, a ergonomia dos vidros. Segundo a psicóloga de 25 anos, Isadora Ribeiro, existem embalagens bonitas, mas que não são funcionais. “Eu tenho um perfume que é meio gordo e redondo, e se você não pegar no lugar certo, ele cai. Também é difícil de deixa-lo parado em pé, e então dá medo dele cair e quebrar. Eu sempre tenho que tomar cuidado, e se ele cair, ainda pode sair rolando, o que é pior. As marcas querem colocar muito ‘fru-fru’, mas nem sempre fica prático”, observa.

Os entrevistados foram questionados quanto à fragilidade dos frascos, e a maioria respondeu sentir-se seguro com seus vidros. Algumas experiências com quedas foram relatadas, e na maioria das vezes, a embalagem não foi danificada. Daniela da Silva, analista fiscal de 26 anos acredita que os frascos nacionais são um pouco mais frágeis. Um de seus perfumes importados já chegou a cair no chão, e não quebrou, pois estava dentro do cartucho. Depois dessa experiência, ela passou a guardar seus perfumes mais caros dentro das caixas, como forma de proteção. Para ela, os cartuchos dos perfumes de fora também possuem melhor qualidade. “Acredito que as caixinhas dos meus perfumes importados são mais resistentes. Tem a caixa dentro da caixa (berço), acho que é por isso que fica mais bem protegido. Acho que os cartuchos dos perfumes nacionais poderiam ser assim também. Dá pra ver que a qualidade é inferior, o papel parece ser um pouco mais grosso que o de uma cartolina, por exemplo, então se cair no chão com certeza vai quebrar. Por isso, jogo todos fora, senão os guardaria, assim como faço com meus produtos internacionais”.

E a beleza, é importante?
Fragrância, formato, tipo e tamanho são alguns dos principais critérios utilizados pelos consumidores na hora da compra. Entretanto, diferente de outras categorias já abordadas no Focus Group, a beleza e sofisticação das embalagens dos perfumes foi citada - pela maioria – como quesito essencial durante a escolha do produto. Isadora comentou que quando há perfumes novos nas vitrines das lojas, com embalagens bonitas e modernas, eles chamam sua atenção, e consequentemente, ela entra para conferir a novidade. “Primeiro a gente escolhe com os olhos, né? Depois, você vê a fragrância e tudo mais, mas a embalagem com certeza faz toda a diferença”, corrobora Jéssica.

André Chalegre, analista de recursos humanos de 30 anos, também usa os frascos de seu perfume como objetos de decoração, então pra ele é importante uma embalagem diferenciada, com um bom visual. “Eu acho que a embalagem tem de ser bonita sim, até porque na minha casa meus perfumes ficam perto da televisão, e cada um tem seu estilão, eu gosto muito”. Segundo Giórgia a embalagem é a primeira coisa a ser notada, então ela tem de ser bonita, bem trabalhada, pois é a apresentação da fragrância.

Com a ajuda da tecnologia, cada vez mais avançada, o mercado nacional e internacional de perfumes cresce a cada ano. O desafio para as grandes empresas é criar um perfume que tenha uma fragrância cativante, além de uma embalagem bonita, atraente e funcional. O estudante Andrei finaliza: “O meu perfume preferido é completo. Ele tem o cheiro que me agrada, uma embalagem muito bonita (de imã, então você não precisa rosquear, fazer nada porque ela fecha sozinha) e seu frasco, recoberto de metal, me parece mais resistente do que os outros, pois já derrubei e não quebrou. Com tudo isso, eles conseguiram me fidelizar direitinho”.

Compartilhe

Comentários ()

© 2012 • Cosmética News. Todos os Direitos Reservados • Desenvolvido por Index Software

Voltar ao topo