Mercado masculino: Fidelidade aflorada

Pesquisa realizada pela Mintel traz uma série de indícios que mostram como os homens brasileiros são fieis às marcas


Os homens brasileiros demonstram um alto nível de fidelidade à marca de produtos de higiene pessoal: quase a metade (45%) deles concordaram com a afirmação: “Costumo comprar as mesmas marcas de produtos de higiene”. Este foi o maior índice de concordância em uma lista de 11 afirmações comportamentais em pesquisa realizada pela Mintel, para o relatório de Produtos de Higiene Pessoal Masculina.

Os brasileiros de fato valorizam fidelidade à marca na hora da compra. O relatório Mintel “Hábitos de Gasto do Consumidor – Brasil”, de junho de 2014, mostrou que três quartos (75%) dos consumidores de ambos os sexos concordam com a afirmação: “Comprar marcas conhecidas me faz sentir bem sobre mim mesmo”. Este percentual é um pouco maior entre os homens: 76%.
O segundo maior nível de concordância com afirmações comportamentais revela que os homens brasileiros valorizam muito a fragrância dos produtos: mais de quatro em cada dez (41%) dos entrevistados concordaram com a afirmação “O cheiro é muito importante para mim na hora de escolher um produto”.

No outro extremo comportamental, apenas 6% dos homens concordaram com a afirmação: “Não gosto de comprar produtos de higiene”. Isso revela uma atitude geralmente positiva em relação à compra de produtos de beleza e cuidados pessoais, o que é uma boa notícia para os fabricantes e varejistas. Eles devem se esforçar para tornar a experiência de compra ainda mais divertida e envolvente. Isso pode incluir testes e amostras grátis (mencionados por 23% dos entrevistados) ou promoções do tipo “pague um, leve dois”.

Os jovens (16-24 anos) são mais propensos a comprar produtos mais caros: 41% dos entrevistados revelaram que adquiriram itens com preços mais elevados pelo menos ocasionalmente. Esse percentual é maior do que em todas as outras faixas etárias, que variam entre 19% (com idade acima de 55 anos) e 37% (entre 25 e 34 anos).

Há uma clara relação entre a idade e a compra de produtos caros, sendo que os consumidores nas faixas etárias mais altas são mais cautelosos. Apenas 19% dos consumidores com idade acima de 55 anos disseram que compram produtos mais caros. Isso ocorre porque essas pessoas fazem parte de uma geração menos habituada aos hábitos de beleza e cuidados pessoais masculinos. Os fornecedores poderiam contornar este problema ao oferecer produtos mais sofisticados voltados para este grupo. Isso poderia incluir uma segmentação por características raciais e de idade, como por exemplo shampoos desenvolvidos para os cabelos cacheados de consumidores com idade acima de 55 anos.

Compartilhe

Comentários ()

© 2012 • Cosmética News. Todos os Direitos Reservados • Desenvolvido por Index Software

Voltar ao topo