Produtos de Tratamento Corporal: Agarrando chances

Produtos de Tratamento Corporal: Agarrando chances
Redutores de medidas e anticelulite Vêm patinando no mercado brasileiro. Mas, uma maior conscientização dos consumidores aliado a novas tecnologias e ativos, podem injetar ânimo nessa categoria

 
Em coletivas de imprensa e apresentações para jornalistas de itens relacionados aos cuidados com a pele do corpo, ao falar das oportunidades e do potencial da categoria, as marcas costumam repetir um mantra: como o Brasil é um país tropical, com Sol o ano inteiro e com um extenso litoral, as pessoas naturalmente expõem mais os seus corpos. Pode até ser verdade, mas até aqui, parece que não combinaram com os russos, ou melhor, com as brasileiras.

Segundo dados da Euromonitor, empresa de pesquisa de dados e tendências, o Brasil experimentou crescimento de 76,4% nas vendas de produtos para a pele do corpo entre 2009 e 2014. Já a subcategoria de produtos firmadores/anticelulite – a mais relevante quando o assunto é tratamento corporal – não viu o mesmo movimento. Pelo contrário, no mesmo período, as vendas ao consumidor andaram de lado, de R$ 314 milhões para R$ 317,8 milhões em 2014. Um crescimento de mero 1%.

O fraco desempenho obtido até aqui está relacionado com a disponibilidade e, principalmente, a qualidade do que era oferecida às consumidoras daqui. Era difícil achar itens para tratamento de gordura localizada e da lipodistrofia genóide – o termo científico para a velha celulite – que realmente tivessem resultados. Com formulações e tecnologias menos sofisticadas, muitas vezes os ativos não conseguiam atingir a profundidade do tecido adiposo, que concentra a gordura, para atuar no ponto correto. A consequência de décadas de produtos que, em sua maioria, eram ineficazes, é que muitas mulheres passaram a enxergar os cosméticos que prometem reduzir as medidas como um engodo.

A evolução da ciência cosmética ao longo dos últimos anos permite que hoje, formuladores possam desenvolver produtos verdadeiramente eficazes. “Atualmente, temos no mercado ativos que conseguem atingir a camada de gordura e promover a ação desejada”, explica Maria Eliza Sany, analista de mercado da distribuidora de ativos e ingredientes Univar. Isso é um novo alento para a categoria que pode desfrutar de dias melhores nos próximos anos. Ao menos essa é a expectativa da indústria, que tem apostado na categoria com uma nova leva de produtos.

Mulheres e homens ainda enfrentam a árdua batalha contra estrias, celulites e gorduras indesejadas, mesmo aqueles que mantêm bons padrões de alimentação e atividade física. Os cosméticos de tratamento são ideais para ajudar nesse trabalho de ajuste fino, como é o caso da marca de produtos masculinos Dr. Jones, que no ano passado lançou o Abdoburn, item focado na queima de gordura abdominal. Renato Almeida, responsável pelo Marketing da empresa, afirma que o foco do produto recai sobre os consumidores que já se preocupam com a sua saúde. “O Abdoburn é para quem já está praticando atividades físicas e cuidando da alimentação, mas ainda sofre com a gordura localizada”, diz o executivo.

Não faz milagres, mas ajuda
São dois os aspectos fundamentais para criar (e sustentar) uma onda de crescimento para a categoria. A primeira é ser explícito na comunicação com as consumidoras. Um cosmético redutor de medida não vai eliminar aquela “pochete” ou os “pneuzinhos” acumulados com muito esforço. Para que isso aconteça, é preciso recorrer à cirurgia plástica ou a uma rotina consistente de atividades físicas, somada à alimentação adequada, algo que não faz parte dos planos da maioria das pessoas. “Vivemos um tempo em que o sedentarismo, a alimentação industrializada e o stress massacram quem vive nas grandes metrópoles e agem destruindo a boa forma”, lembra a cosmetóloga Sônia Corazza. Em meio ao desejo pessoal (ou a pressões externas) para se enquadrar em um padrão estético esbelto, erroneamente atrelado com a boa saúde do indivíduo; e a falta de tempo ou disposição para encarar uma rotina séria de exercícios, as consumidoras costumam buscar por uma alternativa fácil.

A consequência desse raciocínio “preguiçoso” é que, geralmente, muitas pessoas buscam por produtos que tragam resultado sem o alinhamento com a boa alimentação e atividade física e, pior, que sejam perceptíveis imediatamente. Em suma, elas esperam por um “milagre”. Essa é a primeira armadilha que precisa ser vencida pela indústria. A ciência cosmética não faz milagres, mas hoje ela tem capacidade de contribuir significativamente para ajudar na batalha, desde que quem use faça também a sua parte. Os cosméticos redutores de medidas são produtos de uso contínuo e seus resultados aparecem com o tempo. Renata Solfredini, gerente de Marketing da fabricante de ativos britânica Croda, esclarece: “O consumidor geralmente está acostumado com produtos de resultado rápido e visível após poucas aplicações, mas o mercado de firmadores e redutores de medidas é diferente. O uso frequente, na quantidade correta, e por prazos de pelo menos 20 a 60 dias, são necessários para resultados significativos.”

Mas, assim como acontece com os anti-idade para o rosto, é possível utilizar nas formulações ativos especiais que promovem a suavização da pele de maneira imediata e perceptível pelo consumidor, funcionando como uma espécie de incentivo para seguir com o tratamento enquanto os resultados prometidos, de fato, não vêm.

Formulações poderosas
O segundo elemento fundamental para restabelecer a confiança e injetar novo ânimo na categoria é formular produtos que sejam inovadores e efetivamente eficazes no que se propõe a fazer. A eficácia de um cosmético redutor de medidas pode ser comprovada com redução de diâmetro, melhora na textura da pele, além da sensação de maciez causada pelos produtos.

De acordo com Jadir Nunes, PhD e Consultor da Slinc (Scientific Learning & Innovation Consulting), redutores de medidas são produtos que atuam localmente nas regiões corporais onde existe acúmulo de gordura, geralmente promovendo um incremento na microcirculação acelerando a queima dos lipídios. Em itens como esse, os formuladores se preocupam em usar ativos que promovam a quebra das gorduras localizadas, ou que aumentem a circulação sanguínea na região para que o metabolismo do local aumente, ou ainda os dois fenômenos juntos. “Os ativos atuam estimulando os fibroblastos para a síntese de colágeno, elastina e outros componentes da matriz extracelular, doando firmeza para a pele, também podendo apresentar ação antirradical livre”, afirma Alberto Keidi Kurebayashi, diretor da Protocolo Consultoria em Dermocosmética. É importante que eles também intensifiquem a oxidação dos ácidos graxos. Assim, é possível potencializar o efeito do produto. Vale lembrar que os redutores de medidas também podem eliminar o acúmulo de líquidos.
 
Para que um redutor de medida seja eficaz, sua seleção de ingredientes é fundamental. Além da performance do ativo, é importante que a fórmula contenha outros ingredientes, como emolientes de alta espalhabilidade, que ofereçam sensorial adequado para facilitar a massagem local durante a aplicação. “Emulsionantes especiais e outros ingredientes que auxiliam a permeação dos ativos também são recomendados”, pontua Mariana Olivato, gerente de Tecnologia & Inovação da Cosmotec, distribuidora de ingredientes cosméticos. Na maioria dos casos, recomenda-se o uso desses itens nas coxas, glúteos e região abdominal, e junto ao produto, deve-se massagear bem o local, como uma drenagem. Uma boa formulação aplicada do jeito correto faz com que as substâncias ativas sejam capazes de penetrar no tecido adiposo, presente na camada mais profunda da pele. “Se a formulação do produto promover a permeação do ingrediente ativo pode-se também esperar que ocorra uma maior lipólise e, consequentemente, uma maior eliminação desta gordura localizada”, agrega Jadir Nunes.
Ampliando o portfólio
A falta de opções, um dos motivos para o pouco desenvolvimento tanto dos redutores de medida como dos itens de combate à celulite, é um problema que deve ficar menor, com vários atores importantes de skincare apostando nesse tipo de produto.

A empresa de venda direta norte-americana Mary Kay, acaba de relançar no Brasil o Gel Creme Redutor de Celulite Smooth-Action TimeWise, com nova formulação e um massageador para auxiliar na aplicação. “O Gel Creme, em uso conjunto com o massageador, faz com que os primeiros resultados apareçam logo nas primeiras semanas de uso. A prova disto é que nove entre dez mulheres gostaram do resultado visto no espelho e 86% das mulheres se sentiram mais confiantes com sua aparência após o uso”, pontua Paula Penna, gerente Sênior de Produtos e CMS.

Também operando na venda direta, a marca paranaense Racco lançou recentemente o Gel Corporal Redutor da linha Ciclos, que se utiliza da geloterapia, quando o frio intenso atua para descongestionar a região tratada, facilitando a drenagem dos tecidos, melhorando a circulação e favorecendo a eliminação das toxinas. Já a carioca Dermage, que opera com lojas próprias e no canal farma, possui três itens na categoria: DrenCell, para eliminar a gordura localizada – além de possuir ação drenante e descongestionante corporal –; o SlimDetox, uma loção redutora e modeladora; e o SlimGym que também reduz medidas e a flacidez, redefinindo a silhueta do corpo.

A marca capixaba ADCOS, também possui três produtos da categoria: Reduxcel Anticelulite e Redutor, Reduxcel Abdômen e Reduxcel Crio Slim. “Nossa comunicação sempre foi comprometida em divulgar benefícios reais. E, com isto, construímos a credibilidade da ADCOS pela eficácia comprovada. Além disso, buscamos sempre manter um bom relacionamento com a classe médica e com os profissionais de estética, garantindo, desta forma, um maior sucesso nos resultados dos tratamentos procurados por nossos clientes”, declara Karoline Pellacani, supervisora de Marketing da empresa que opera com uma rede de lojas franqueadas.
É possível que, com essa nova leva de produtos, um número maior de consumidores deem novo crédito para os itens de redução de medida e combate a celulite, já conscientes das suas limitações e dos seus deveres como usuário para que o produto aja a contento. Resta acompanhar para ver se a indústria de beleza vai aproveitar a oportunidade para engordar a categoria, ou reduzi-la ainda mais.
 

Variedade de ativos
 
Empresas de matéria-prima destacaram alguns de seus ativos para os produtos redutores de medida. Conheça:
 
Aqia – Algisium C (silanol seminatural): possui uma atividade multidimensional sobre todos os aspectos do envelhecimento da pele, com ações complementares relacionadas com o silício orgânico (elementos constitutivo natural do tecido conjuntivo) e o ácido manurônico, extraído de algas marrons. Uma matéria-prima que promete restaurar a elasticidade, tonicidade e firmeza da pele. Ela também estimula a viabilidade celular e ativa a biossíntese de colágeno e o processo de lipólise. Além disso, é capaz de hidratar de forma intensa e restaurar o equilíbrio hídrico da pele.
Cosmotec – Biogenic Caffeine – 210: cafeína encapsulada em um complexo hidrofílico que confere alta solubilidade em água e mantém a capacidade de permeação do ativo. Esse ativo estimula a atividade lipolítica dos adipócitos, proporcionando redução de medidas das regiões da coxa, barriga, cintura e braços.
Croda – Intenslim: queimador de gordura natural – principalmente abdominal, que promove a síntese de desnutrina e suaviza a inflamação do tecido adiposo reduzindo drasticamente a gordura localizada. Vexel Sp: vitaliza, tonifica e reduz o enfraquecimento da pele. É capaz de aumentar a firmeza e sua elasticidade. Tem ação sinergética da cafeína e da palmitoyl carnitine. Prolevis: tem efeito tensor e suavização instantânea. Possui propriedades filmógenas excepcionais para um visual de pele mais firme e com menos celulite. Legance: traz conforto e beleza para as pernas. É capaz de proteger o ambiente microvascular atuando como um detox das pernas, além de modular o estresse oxidativo e reduzir o acúmulo de líquidos.
Lubrizol
– Nocturshape blue: ingrediente ativo biotecnológico obtido a partir da fermentação de microrganismos planctônicos originários da Fuete de Piedra Lagoo (Espanha), capaz de reduzir os níveis de nocturnin, uma proteína ligada ao ciclo circadiano que aumenta a adipogênese (síntese e acúmulo de lipídeos pelos adipócitos). Além disso, o ativo aumenta a produção de colágeno tipo 1, melhorando a firmeza cutânea.
Sarfam – A empresa possui três ativos que se destacam. São eles: Tamanu Oil: extraído de uma semente rica em neoflavonóides que ativam rapidamente a microcirculação sanguínea. É ideal para um tratamento estético de cabine, pois o seu rico óleo auxilia na emoliência e deslizamento do produto para tratamentos de drenagem. Nanoslim Complex: microcápsula que contém ingredientes com escina, cafeína, diosgenina, sinefrina e diidromiricetina e óleo de arroz, que quando em contato com a epiderme atua de forma termogênica, aumentando sua temperatura e melhorando seu aspecto. Regu-Shape: Nanoemulsão de ácidos linoleicos conjugados (CLA) que tem a capacidade de diminuir o acúmulo de novos lipídios e estimular a quebra de gordura nos adipócitos através do aumento da enzima cAMP, responsável pela lipólise.
Univar – Slim Excess: desenvolvido como ingrediente ativo único para o bloqueio das poliaminas, com efeito emagrecedor. O ativo consiste num hidrolisado de algas vermelhas, e age em três distintos mecanismos de ação: aumento da lipólise, diminuição da lipogênese e diminuição da diferenciação dos pré-adicpócitos, que atua diminuindo o potencial de armazenamento de gordura. Quando combinados, possuem um efeito potencializador no resultado lipolítico e anticelulítico, redefinindo assim as linhas corporais. A novidade é que este ativo foi relançado com novos testes que comprovam a diminuição da papada remodelando o formato do rosto. O ativo foi desenvolvido pela Basf e é distribuído pela Univar.

Compartilhe

Comentários ()

© 2012 • Cosmética News. Todos os Direitos Reservados • Desenvolvido por Index Software

Voltar ao topo