Questão de tempo

Questão de tempo
O papel da indústria nas diferentes etapas da vida do consumidor

Certa vez estive em uma coletiva de imprensa - lançamento de uma marca... A empresa convidou uma influencer para abrilhantar o evento. Essa influenciadora, jovem, estava em destaque na época, por ter assumido seu cabelo natural ? lindas madeixas cacheadas, de cor castanho avermelhado.

Ela dizia estar muito feliz e se achando linda com seus cabelos naturais e, de certa forma, tentava, com seu entusiasmo, convencer os presentes de que se assumir é libertador.

Por outro lado, alguns presentes, encantados com a satisfação da jovem, comentavam sobre pessoas conhecidas que haviam nascido com lindas madeixas, porém, insatisfeitas, a transformaram em uma cabeleira totalmente diferente...
O fato é que ninguém escolhe o corpo em que vai nascer: sua cor, seu formato, sua altura... O corpo é uma dádiva, um presente ? a ferramenta para vivermos aqui.

A maneira como vemos o nosso corpo e de como o aceitamos, vai depender das experiências que vivenciamos (a performance do corpo nessas diversas situações da vida) e da maneira como, as pessoas presentes nessas situações, reagiram a ele.

Então temos o período em que descobrimos o nosso corpo, em que nos percebemos nele. Logo depois vem outro, em que passamos a compará-lo, analisá-lo e talvez até criticá-lo.

Existe o tempo de entendimento ? que é aquele em que resolvemos nossas pendências com o corpo (ou pelo menos, tentamos); então modelamos, decoramos, enfeitamos, pintamos... 

Enfim, externamos o que queremos ou, por assim dizer, como nos vemos. Corrigimos o que achamos que atrapalha ? uma mancha, cicatriz, olheira, pinta, celulite, estria, pouco cabelo, cabelo enrolado... 

Ufa!!! Isso nos tira um peso. Nos faz sentirmos mais bonitos, mais vivos. E existe o tempo em que fazemos as pazes com a história, fazemos as pazes com o nosso corpo e, de repente, pintar não faz mais sentido. Talvez enfeitar também não faça.

Para a influenciadora, ainda bem jovem, talvez tenha sido fácil e rápido, por ela não ter tido uma história tão conturbada com seus cabelos cacheados. Tudo é uma questão de tempo ? o tempo de cada um.

O importante é que para cada tempo, existem soluções libertadoras. E a indústria deve estar pronta para apoiar seus consumidores a seguirem seguros com suas escolhas, lembrando que a humanidade é comum a todos, independentemente do tempo, da forma, da cor e da história de cada um.

Compartilhe

Comentários ()

© 2012 • Cosmética News. Todos os Direitos Reservados • Desenvolvido por Index Software

Voltar ao topo