Racionalização de SKUs

Um processo cíclico e necessário de renovação da linha de produtos de uma empresa, que também faz com que elas foquem seus esforços nos itens de menor custo e de melhor aceitação do consumidor             
 

Neste artigo iremos abordar o tema “Racionalização de SKUs” – sigla que significa “Stock Keeping Unit”, ou seja, Unidade de Manutenção de Estoque, que é um código exclusivo que permite às empresas e supermercados controlarem os itens que são vendidos ou mantidos em estoque da loja.

O SKU é um código ou referência dada a cada produto de acordo com a sua apresentação, tipo, quantidade, tamanho, etc. Através dele, é possível pesquisar e identificar exatamente qual produto foi vendido, entregue ou trocado. Ele também é frequentemente utilizado em integrações de e-commerce com ERPs.

Os SKUs foram criados para facilitar a comunicação das equipes que diariamente estão em contato com milhares de produtos dentro de uma empresa ou armazém, trabalhando com um volume de dados enorme. Então, para simplificar, é muito mais fácil e rápido localizar pelo SKU “tal” do que ficar tentando descrever um determinado item estocado. Além disso, aplica-se todo o processo de gerenciamento de estoque.

Porém, nos últimos anos, em função da disputa pelos espaços nas prateleiras e a necessidade de redução custos ou das áreas de estocagem, muitas empresas e cadeias de supermercados de grande porte têm feito um esforço para reduzir a quantidade de produtos mantidos em estoque, como parte de programas de otimização, diminuindo assim o número de SKUs a serem controlados. Por exemplo, em vez de manusear 32 diferentes marcas de um determinado produto, a empresa ou supermercado poderá simplificar sua operação manusear, por exemplo, 24 itens.

Até porque, na própria empresa, quanto maior o número de SKUs, maior é o trabalho e a complexidade na administração e controle de estoque dos produtos, e também os investimentos na criação dos novos produtos e novas embalagens, muitas vezes aumentando o custo dos produtos e dos processos, pelo número de “set-up” de máquinas, estoque de um maior número de itens e equipes maiores.

Com a exigência cada vez maior do consumidor por produtos específicos ou com determinados benefícios ou novas tecnologias que proporcionam de alguma forma uma melhor qualidade ou alguma facilidade, as empresas constantemente lançam novos produtos ou alguma extensão de uma linha de produtos já consolidada. Com isso, aumenta-se o número de itens que ela disponibiliza no mercado e, como nem sempre esta empresa tira algum outro produto de circulação para substituir pelo novo, ocorre automaticamente um aumento gradativo de SKUs.

Vejo a racionalização de SKUs como um processo cíclico e necessário de renovação da linha de produtos de uma empresa ou supermercado, que com o passar do tempo e pela necessidade de lançamento de novos produtos para atender ao mercado consumidor, acaba aumentando constantemente e gradativamente seu portfólio de produtos, e por isso periodicamente é necessário uma avaliação para a redução do número de SKUs.

Esta racionalização na verdade também força as empresas a focarem seus esforços nos produtos de melhor aceitação do consumidor e de menor custo, justamente pela compra de lotes econômicos das embalagens, por terem um menor custo de produção e processos já otimizados. Isso também contribui para a diminuição de perdas de materiais e aumento dos lucros dessas empresas.

Paulo E. Pereira, designer da agência Prodesign

Compartilhe

Comentários ()

© 2012 • Cosmética News. Todos os Direitos Reservados • Desenvolvido por Index Software

Voltar ao topo