Reformulação de Phytoervas: com naturalidade

A natureza foi a inspiração para a criação da Phytoervas há 27 anos. Agora, a marca passa por sua primeira grande reformulação, visando incorporar ainda mais o conceito natural aos seus produtos
 

Atribuir o termo natural aos seus produtos é algo recorrente para uma série de companhias dentro do segmento de beleza. Porém, realizar isso com qualidade, apresentando itens que realmente agreguem algum tipo de valor a este mercado, é mérito de poucos. Com o intuito de oferecer produtos para cuidados com os cabelos e a pele, inspirados no que a natureza tem de melhor, a empresária Cristiana Arcangeli criou a Phytoervas em 1986. E 12 anos depois, o grupo norte-americano Bristol-Myers Squibb adquiriu-a e a marca passou a fazer parte da divisão Clairol. Em 2001, esta divisão foi comprada pela Procter & Gamble, com o objetivo de ampliar seus negócios no segmento de tinturas, já que a marca Clairol era a segunda maior fabricante desta categoria nos Estados Unidos, e também de reforçar seu portfólio de shampoos (que já contava com Pantene, Head & Shoulders e Pert Plus) com as marcas Phytoervas e também Clairol. Porém, um ano depois, o Grupo Nasha comprou a Phytoervas da P&G, sofisticando a marca desde então.

Agora, após quase três décadas de existência da marca, o grupo, que também nasceu em 1986, decidiu reformulá-la. Essa mudança, segundo Luiz Quadrante, diretor Comercial e de Marketing da Phytoervas, foi influenciada pelas alterações que o setor de beleza vem passando nos últimos tempos. “O mercado mudou muito nos últimos anos, com o lançamento de novas marcas e novos conceitos. Phytoervas precisava também trazer novidades para acompanhar estes movimentos. Sendo assim, pesquisamos uma tecnologia que nos possibilitasse ter um produto mais natural possível, mas com uma performance superior”, explica. Segundo o dirigente, o resultado gerou produtos sem sulfato, parabenos e corantes e com a extração de ativos de forma natural, eco sustentável e sem adição de agentes químicos.

Entretanto, a ideia da Phytoervas em buscar um produto mais natural possível não vem de hoje, ela vem sendo desenvolvida e pesquisada há mais de três anos. E todo esse trabalho levou a companhia a aderir o conceito de “Cosmética Integral”, com o componente Phytocomplex, feito de trigo (para a restauração dos fios), linho (nutrição) e quinoa (antienvelhecimento). “Não queríamos apenas um produto sem sulfato, parabenos e corantes. Queríamos mais. E foi nesta pesquisa que encontramos o conceito que deu origem a Cosmética Integral, que é o processo de extração de ativos de forma a preservar as qualidades naturais, em seu estado mais puro”, observa Luiz Quadrante, procurando destacar que todo o desenvolvimento de novos produtos ou linhas se dá em conjunto pela área de Pesquisa e Desenvolvimento e Marketing.

Mudança de corpo e com alma
O espírito natural dos itens Phytoervas procurou ser ressaltado ainda mais com esta reformulação. Mas não foram apenas os produtos que sofreram mudanças. Para dar mais destaque para esta nova fase da empresa, as embalagens das dez linhas clássicas da marca (fortalecimento total, iluminador, antiqueda, super restauração, cor resistente, controle de oleosidade, revitalização e brilho, anticaspa, antirresíduos e hidratação intensa) também ganharam nova roupagem. “Entendíamos que a imagem do produto deveria se atualizar, mas sem perder suas características iniciais. Com muita pesquisa, chegamos a um novo frasco, tampa e rótulos. Este trabalho foi desenvolvido com nossa parceira Future Brand”, situa Luiz, exaltando o trabalho alcançado pela agência de design. E mesmo que as embalagens sofressem alterações, esta atitude exigiu muita cautela por parte da empresa, já que esta seria a primeira grande mudança de imagem dos produtos em toda a sua história.

Sendo assim, o tradicionalismo da roupagem dos produtos foi preservado, mesmo tendo representado um desafio. “A embalagem que tínhamos era muito tradicional. Acompanhou a marca desde seu nascimento basicamente, com pequenas alterações. Era um desafio substituir aquela embalagem. Buscamos um design que não fugisse totalmente da embalagem tradicional, ela cresceu um pouco e passou a ter cor, melhorando nosso facing”, diz o dirigente, apostando que as novas embalagens chamarão mais atenção no ponto de venda. O design dos rótulos procurou seguir privilegiando os ativos naturais presentes nos produtos, como era feito anteriormente, porém de forma mais moderna.

De cabeça em Tratamento
Atualmente, o portfólio da Phytoervas também engloba itens para o corpo, (óleos e hidratantes corporais); desodorantes e produtos solares (protetor, clareador, bloqueador e pós-sol). Entretanto haircare sempre foi a especialidade da marca. E neste passo, além de ter realizado a reformulação de suas dez linhas capilares, a Phytoervas também começa a se aventurar em uma outra subcategoria dentro do enorme universo de hair care. A marca passa a oferecer ao mercado agora quatro linhas de Tratamento: reposição de queratina (com óleo de macadâmia), pós química (com óleo de ojon), pós progressiva (com óleo de argan) e desamarelador (com complexo de violeta); esta última, composta apenas por shampoo e condicionador. Já as outras três linhas contam com estes dois itens, além de máscara de hidratação, ampola de tratamento, óleo para brilho e proteção térmica.

Estas quatro novas linhas de Tratamento estão disponíveis no mercado a preços superiores que as linhas tradicionais da marca. Para Luiz, o ingresso nesta categoria apenas fará com que a Phytoervas reforce sua presença no mercado de haircare, sem perder os consumidores que já utilizam suas linhas clássicas. “A marca é muito tradicional no mercado de haircare, com uma distribuição significante. Logicamente que é mais lembrada por estas linhas, mas acreditamos na migração total dos consumidores tradicionais da marca. Temos a certeza que estamos entregando um produto muito competitivo, com qualidade superior. Ao contrário do risco, entendemos que o lançamento dá um ar mais jovem à marca, objetivando buscar novos consumidores para a linha”, vislumbrou.

Expectativa de ascensão
Segundo Luiz, os investimentos realizados pela Phytoervas visando reformular sua identidade, permitem a marca incorporar ainda mais o conceito de um produto natural, diferenciando de outros que utilizam muita química em sua formulação, porém entregando a mesma performance destas linhas, com o beneficio de não agredir os fios. O diretor Comercial e de Marketing afirma ainda que o objetivo é crescer as vendas em 30%. “Vamos buscar este crescimento não apenas junto aos clientes que já temos, buscando melhores espaços e maior participação em ações promocionais, como também buscar novos clientes, que, por algum motivo, ainda não são nossos parceiros”, aposta.

Para propagar a divulgação dos novos itens, a Phytoervas inicialmente está focando suas atividades nos pontos de venda, com abordagens e sampling de produtos. A marca também está usando mídias sociais para divulgar os produtos, bem como via mídia em revistas. Sobre as farmácias, um dos canais de venda pelos quais o Grupo distribui suas marcas, Luiz lembra que para a Phytoervas a marca sempre foi mais forte no canal autosserviço, porém, devido ao crescimento do canal Farma e à melhoria de performance neste canal, a representatividade dele aumentou muito. “Dentre os canais que somos mais expressivos, o canal Farma é aquele que objetivamos um crescimento mais acelerado com esta nova linha”, finaliza o executivo.

Compartilhe

Comentários ()

© 2012 • Cosmética News. Todos os Direitos Reservados • Desenvolvido por Index Software

Voltar ao topo