Saiba mais sobre os finalistas nas categorias de Empresa, Ponto de Venda e Profissional do Ano do Prêmio Atualidade Cosmética

Saiba mais sobre os finalistas nas categorias de Empresa, Ponto de Venda e Profissional do Ano do Prêmio Atualidade Cosmética
As urnas estão abertas. Os leitores de o Atualidade Cosmética e do Cosmética News habilitados a votar já receberam suas cédulas. Agora é só exercer o seu direito de votar e eleger os melhores. Os leitores poderão votar até o próximo dia 03 de novembro.

No texto abaixo é possível entender, de forma resumida, os motivos que justificaram as respectivas indicações pela equipe de Atualidade Cosmética.  

Alexandre Seródio, fundador e CEO da Beleza na Web: a vivência no mercado de beleza e, particularmente na venda direta, foi fundamental para a pequena revolução que Alexandre Seródio vem estabelecendo no e-commerce de beleza brasileiro ao longo de quase uma década. O histórico foi fundamental para incorporar ao até então "frio" e impessoal ambiente do e-commerce todo o calor das relações estabelecidas na venda direta, refletido na importância que a curadoria e a geração de conteúdo para informar às consumidoras sobre tendências, novidades, e, principalmente, sobre os produtos vendidos pela empresa, o que reforça o papel da Beleza na Web na construção das marcas junto às consumidoras da varejista online. Alexandre tem liderado as equipes da Beleza na Web no desenvolvimento de tecnologia proprietária, algo também pouco usual entre as empresas brasileiras de e-commerce e certamente inédita entre as suas concorrentes locais, bem como a condução do negócio com sobriedade e alocando os recursos aonde eles são realmente importantes e, desde sempre, sob a premissa de que ele deve ser operacionalmente rentável, algo incomum entre os empreendedores do canal.

Dominique Marceau, diretor-geral da L'Oréal DPGP e da Niely: se a L'Oréal Brasil vive um momento de reflexão interna após um período de forte crescimento e grandes investimentos, a Niely, que até meados deste ano operou de forma relativamente independente, pisou no acelerador e entregou grandes resultados. Muito disso se deve a maneira como o executivo Dominique Marceau conduziu a transição do negócio após a compra da marca brasileira pela gigante francesa, incluindo o desafio de tocar uma operação que sempre esteve atrelado à ação direta do seu fundador, Daniel de Jesus. A marca foi repaginada, o mix revisado e a estratégia de comunicação modernizada. No entanto, a Niely manteve intacto o seu DNA e os códigos que lhe permitiram continuar conversando muito bem com as classes populares. Esse movimento, somado a reorganização da distribuição, melhorando a performance da marca em grandes redes varejistas, permitiu à marca voltar a ganhar mercado, consolidando sua liderança em coloração e retomando o caminho do crescimento com Niely Gold. Em meados deste ano, Dominique foi alçado ao comando de toda a divisão de Produtos de Grande Público da L'Oréal no País.

Jomar Beltrame, vice-presidente da Embelleze: muito da rapidez e da agilidade para captar tendências e desenvolver e lançar produtos que se enquadrem nelas, uma reconhecida fortaleza da Embelleze, tem muito a ver com o trabalho de Jomar Beltrame. Apesar de ocupar a vice-presidência, hoje, Mazinho, como é mais conhecido, é quem de fato comando uma reorganização corporativa que está sendo conduzida intensivamente nos últimos dois anos e que tem contribuído para tornar as operações da empresa, historicamente complicadas, mais fluídas e organizadas, permitindo à empresa caminhar para uma estrutura organizacional que lhe permita capitalizar melhor em cima da sua grande capacidade de apresentar novidades ao mercado.


Grupo Hinode: indicada pelo terceiro ano consecutivo, a empresa de venda direta multinível Hinode segue entregando resultados superlativos, surpreendendo fornecedores que têm, inclusive, começado a ficar preocupados com a capacidade de atender aos crescentes volumes alcançados em tempo cada vez mais curto pela empresa. Apenas na categoria de perfumaria, estimamos uma produção em torno de 35 milhões de frascos por ano, com uma estratégia bastante clara de fortalecimento da sua perfumaria própria, que hoje já gera a maior parte das vendas da empresa no mix da categoria. Ao mesmo tempo, as inciativas para se estabelecer em novas categorias estão sendo bem-sucedidas, especialmente com Dazzle em maquiagem e Routine, em tratamento facial. Também de acordo com fontes do mercado, a Hinode assumiu a quarta posição em vendas na categoria de cuidados faciais. Por fim, vale destacar a inauguração da nova planta produtiva, que garante espaço para o crescimento sem riscos de rupturas por falta de capacidade de produção e a eficácia do modelo de negócios da empresa, que garante ao mesmo tempo, crescimento acelerado sem a necessidade de alavancagem financeira, fato raro e que garante à empresa de venda direta a solidez e a segurança necessária para seguir em forte expansão.

Salon Line: é impossível que alguém não tenha se deparado com alguns dos produtos da linha #tôdecacho em algum ponto de venda do País. O mercado ? inclusive as concorrentes multinacionais ? reconhece que a Salon Line foi a empresa que melhor capturou o movimento das cacheadas e, apesar de não ter sido a primeira, se converteu na referência de sucesso para o setor e consolidou sua liderança nesse segmento. Considerando apenas o mercado de shampoos, a participação da Salon Line alcançou o 1,6%, um porcentual bastante relevante numa categoria tão disputada. Para dar conta do sucesso, a empresa realizou grandes investimentos de infraestretrutura, pensados não só para atender a forte demanda gerada pelo sucesso de #tôdecacho, mas com olhos à expansão acelerada da empresa no futuro. Essa nova estrutura tem permitido à Salon Line se expandir para novos canais de venda com segurança, especialmente grandes redes de farmácia ? canal aonde a empresa vem ampliando rapidamente suas vendas ?, e dar vazão a lançamentos de novos produtos num ritmo alucinante.  A criação de novas marcas pela empresa para atender às novas demandas de outros grupos de consumidoras ? caso da Meu Liso ? demonstra que a empresa não pretende viver exclusivamente às custas do seu sucesso com as cacheadas. O mesmo vale para a linha de apelo natural Maria Natureza, que insere a empresa em um segmento de alto potencial de crescimento e ainda relativamente pouco explorado pelas empresas de maior porte que atuam no varejo.

Skala: um dos atores mais tradicionais e relevantes do mercado nos anos 1980 e 1990, a empresa mineira Skala vive um momento de revival, se apresentando ao mercado com uma roupagem mais moderna e um portfólio mais adequada à realidade atual do mercado. Ao mesmo tempo, a empresa faz isso se valendo muito bem de uma de suas fortalezas, a histórica e bem construída rede de distribuição, que dá à empresa uma capilaridade excepcional Brasil adentro. E toda essa movimentação está sendo executada com foco e com clareza acerca do posicionamento da empresa para o seu público e o mercado, mantendo a tradição de oferecer produtos de apelo popular, com posicionamento de preço agressivo, mas repaginada e com padrão de qualidade alinhado às necessidades dos novos tempos.


Avatim: com pouco mais de 15 anos de vida, a baiana Avatim viveu ao longo dos últimos anos, um processo de evolução consistente de uma marca de perfumes de ambientes, cada vez mais, para uma de perfumaria e cosméticos, área que hoje já responde por mais de metade das vendas da companhia. Ainda que a crise possa ter arrefecido o ritmo de expansão, a empresa, uma das duas maiores da Bahia, conseguiu expandir a sua rede de lojas de forma consistente. Os atuais 97 pontos de venda exclusivos da marca representam um incremento de quase 70% em relação ao mesmo período de 2015. A empresa também seguiu investindo e está concluindo sua nova planta produtiva, com o dobro do tamanho da atual e capacidade produtiva quatro vezes superior, usando apenas equipamentos novos. Apesar dos investimentos em tecnologia de produção, a Avatim se mantém fiel a algumas características que ajudam a moldar a personalidade da empresa, como o acabamento manual das embalagens realizado por membros da comunidade local, que garantem um toque diferente aos produtos da marca.

Dr. Jones: desde o seu início, a Dr. Jones tem demonstrado solidez e consistência nos seus passos. A empresa foi uma das pioneiras em olhar para o mercado masculino como um target sério e demandante de soluções específicas, direcionando todos os seus esforços de construção de marca e desenvolvimento de canal para esse segmento do mercado. A estratégia de distribuição, que mixa de lojas de moda masculinas e barbearias; perfumarias especializadas, algumas farmácias e e-commerce; e agora, quiosques, é feita de maneira bastante consciente e controlada. Fosse por necessidade fosse por estratégia, o fato de terem enxergado, logo no início, as lojas de roupas masculinas como um canal de venda, alinha-se a uma visão mais moderna de distribuição que olha para a "tribo" a ser atendida e leva a marca até o seu público, onde quer que ele possa estar. Como especialistas em cuidados masculinos, a Dr. Jones também tem ajudado o mercado a se desenvolver, especialmente introduzindo produtos que fogem do que o mercado, especialmente no varejo, tem oferecido habitualmente para o consumidor masculino, um mercado ainda muito dominado por produtos relacionados ao barbear e a finalização e estilização dos cabelos.

Feito Brasil: a empresa paranaense tem se mantido fiel ao seu projeto original, que engloba a produção artesanal e o uso de elementos da cultura brasileira em suas linhas. Sem buscar atalhos na busca por maiores volumes de vendas imediatos, a empresa fez algo que poucas empresas conseguem executar no Brasil: manter-se fiel a uma estratégia de distribuição que envolva exclusividade. No caso da Feito Brasil, com a Sephora. Trata-se sim de um caminho mais demorado, mas também é verdade que ele permite construir bases mais sólidas, especialmente para empresas novatas, que oferecem produtos com propostas muito diferenciadas em relação ao mainstream e com menor disponibilidade de recursos no que diz respeito a construção da imagem da marca e ao posicionamento mercadológico. Estar focada no público de um único cliente também lhe permite conhecer com maior granularidade o seu público-alvo, ao mesmo tempo em que possibilita muito mais liberdade para desenvolver produtos de alto padrão e com propostas diferenciadas, adequadas a realidade de uma bandeira como a Sephora, que demanda de marcas novas ideias diferentes das que as suas centenas de fornecedores globais já oferecem.


Bel Salvador: com mais duas novas lojas inauguradas neste ano, a baiana Bel Salvador se mantém como a mais expansionista das redes de perfumarias brasileiras alcançando 24 unidades espalhadas por seis estados. Um aspecto importante para a indicação da varejista, vencedora da categoria no ano passado, diz respeito ao modo como ela encara o seu mix. O fato de abrir mão de operar com marcas tradicionais e líderes de mercado em certas categorias, justamente para não entrar em guerras de preços com pontos de venda onde esses produtos tem mais peso, caso dos supermercados e farmácias, é uma decisão que apesar de parecer óbvia, não é comum entre os varejistas, já que tais marcas tem público e giro garantidos. Ao abrir mão delas, a Bel deixa claro que não briga por volume, e de quebra, evita ficar com a pecha de loja careira. Ao mesmo tempo, a rede aposta em trabalhar com o maior número possível de marcas em exclusividade, garantindo a diferenciação do mix perante seus clientes e o mercado.

Danny Cosméticos: ao longo de quase 40 anos de mercado, a Danny se estabeleceu como uma das grandes redes de perfumaria de São Paulo. A empresa, que não tinha originalmente planos de novas lojas para este ano, acabou incorporando mais três unidades à sua rede, que passa a contar com 15 PDVs. Apesar de não previsto, o movimento de expansão foi feito com segurança, ainda que alcançando o limite da própria capacidade operacional da Danny, e mostra o quão sólido e consistente foi o plano da empresa para suportar o ciclo de expansão que se encerrou neste ano. Paralelamente, mantém o projeto de renovação das lojas mais antigas, com o lançamento de uma nova proposta de layout que promove uma experiência de compras diferenciada para as consumidoras da bandeira.

Leo Cosméticos: a rede de Londrina (PR) está em ritmo acelerado, mas muito consistente desde 2012. Neste ano, a varejista chegou à Curitiba, movimento que consolida a liderança da Léo no Paraná. A empresa tem apostado na abertura de lojas em shoppings. Essa estratégia tem permitido a Léo montar megastores que se converteram em referência no varejo especializado brasileiro pela sua ambientação e, principalmente, pela performance de vendas das lojas, que rapidamente atingem patamares bastante elevados, de acordo com as fontes do mercado por nós consultadas. Paralelamente a esse processo de expansão, a Leo tem empreendido um grande projeto de organização da empresa, para garantir que o futuro da Léo seja construído sobre bases sólidas e que a empresa possa ser mais facilmente tocada a partir de uma gestão cada vez mais centralizada.

Beleza na Web: poucas companhias executam tão bem o varejo digital de beleza no Brasil quanto a Beleza na Web. Em pouco menos de dez anos, a empresa que nasceu de um investimento errado num salão se converteu no maior varejista especializado em beleza brasileiro. Líder disparado no segmento de produtos para os cabelos - que é a origem e fez a fama do negócio inclusive - a Beleza na Web vem fazendo grandes esforços para construir seu negócio em outras categorias, especialmente maquiagem. Para isso, tem lançado mão da mesma estratégia de curadoria e conteúdo para aproximar e tornar a relação com os clientes mais real, ainda que num varejo digital. A inauguração da loja física da Beleza na Web tem permitido também uma interação de "carne e osso" entre a varejista e suas clientes, que frequentam a loja, entre outras coisas, para participar de treinamentos exclusivos em diversas áreas. O desenvolvimento em tecnologia proprietária que vem sendo realizado pela companhia também é um ponto que merece destaque.  

Época Cosméticos: parte da gigante Magazine Luiza, a Época Cosméticos - originalmente um grande vendedor de perfumes importados, como quase todos os atores da distribuição seletiva no Brasil - tem cada vez mais mixando diferentes posicionamentos de preços em seu site, agregando novas marcas de masstige e de mass market para ampliar o alcance do seu portfólio. A empresa vem construindo na categoria de tratamento, sua grande fortaleza. Tanto que abriu uma farmácia para ter acesso às principais marcas de dermocosméticos do mercado, que só permitem a venda dos seus produtos à um varejista farmacêutico. A Época também tem reforçado a sua agressiva política promocional, buscando manter sempre uma oferta de preços bastante agressiva em relação aos seus principais concorrentes.   

Sephora: a maior varejista de beleza no mundo usa toda a sua força e expertise para gerar diferenciação no mercado local. O amplo portfólio de marcas exclusivas, além da própria Sephora Collection, representam um grande trunfo para a varejista, que sabe como poucos construir marcas. Operações relativamente independentes até dois anos atrás, hoje a operação digital e a de lojas físicas da Sephora estão totalmente integradas e é justamente a performance nas vendas online o primeiro indicador de quais são as praças para os quais a varejista deve olhar com atenção para a eventual abertura de um ponto físico. O site também é a porta de entrada para novas marcas, inclusive brasileiras, que a depender de sua performance na loja virtual, podem seguir para as lojas físicas. Apesar da integração total, o site da Sephora continua com promoções e descontos diferenciados em relação aos pontos de venda físico, garantindo o dinamismo necessário para responder na velocidade do ambiente digital.


Os vencedores de todas as categorias só serão conhecidos durante a cerimônia de entrega do Prêmio Atualidade Cosmética, que acontece no próximo dia 7 de novembro, no Teatro Bradesco, em São Paulo.

Ingressos para a premiação já podem ser adquiridos pelo telefone (11) 3392-2584.
 
O 25º Prêmio Atualidade Cosmética tem o patrocínio Diamante da Patrus Transportes, da Cramer e da Kaapi; o patrocínio Ouro da Vollmens, da Phytoessence e do Teatro Brasdesco; patrocínio Prata da Robertet, da Isan, da Incom e da Kosmoscience; além do apoio da Beauty Fair, da Faculdades Osvaldo Cruz e da Associação Brasileira de Cosmetologia

Compartilhe

Comentários ()

© 2012 • Cosmética News. Todos os Direitos Reservados • Desenvolvido por Index Software

Voltar ao topo