Ecovia apresenta previsões para o mercado de cosméticos sustentáveis em 2019

Ecovia apresenta previsões para o mercado de cosméticos sustentáveis em 2019
A consultoria britânica Ecovia Intelligence, especializada no mercado de naturais e orgânicos e organizadora dos eventos Sustainable Cosmetics Summit, elencou algumas previsões para o mercado de cosméticos sustentáveis em 2019. Confira abaixo quais são elas.

A demanda por cosméticos naturais e orgânicos se globaliza: Originalmente forte na Europa e na América do Norte, a demanda por cosméticos naturais e orgânicos está se tornando cada vez mais global. Espera-se que a participação da Ásia no mercado internacional de cosméticos naturais seguirá avançando, com consumidores procurando por produtos mais produtos formulados sem químicos sintéticos. Mais lançamentos de produtos naturais e orgânicos vão acontecer na Ásia-Pacífico, bem como em outras regiões.

Multinacionais lançando linhas naturais e éticas: Nos últimos 12 meses, a Unilever lançou a marca Love&Beauty Planet, a Henkel apresentou o Nature Box e a L'Oreal lançou a Seed e a La Provençale Bio. A Garnier, também da L'Oréal, lançou a sua linha orgânica de cuidados com a pele, assim como a P&G lançou a sua, com Gillette Pure. É provável que aconteçam mais lançamentos desse tipo, enquanto as multinacionais continuam buscando o "dólar ético".

LEIA TAMBÉM:

Investimentos e aquisições: Espere ver mais investimentos e aquisições envolvendo empresas de cosméticos naturais e orgânicos em 2019. Algumas das aquisições notáveis ??nos últimos 12 meses foram a Logocos Naturkosmetik pela L'Oreal, a The Organic Pharmacy pelo Istituto Ganassini, e o Natural Products Group pelo Groupe Rocher.

Reduzir os impactos das embalagens: As preocupações dos consumidores em relação a poluição causada pelos plásticos  nos oceanos e aterros sanitários estão fazendo com que as empresas de cosméticos e de cuidados pessoais abordem seus impactos nas embalagens. Um número crescente de empresas têm buscado por materiais sustentáveis ??e uma abordagem de design ecológico. Em 2018, a REN Clean Skincare (da Unilever) recebeu prêmios pelo uso de plástico convertido à partir de plástico recolhido do oceano. Mais empresas devem seguir esse movimento e usar mais "plástico  oceânico" na embalagem de produtos.

Fornecimento Sustentável: As empresas e fornecedores de ingredientes cosméticos continuarão a investir no fornecimento de matérias-primas. É provável que mais esquemas de sustentabilidade sejam introduzidos para ingredientes individuais, bem como práticas gerais de fornecimento. Nos últimos anos, temos visto muitos novos padrões cobrindo ingredientes básicos (óleos sustentáveis), minerais (Responsible Mica Initiative) e tipos de ingredientes (algas sustentáveis). Em 2018, a Union for Ethical BioTrade (UEBT) lançou a iniciativa Fornecendo com Respeito ...

Rótulos éticos: Espere ver mais rótulos éticos em cosméticos e produtos para cuidados pessoais em 2019. Nos últimos meses, a Herbal Essences recebeu o Selo de Verificação do Grupo de Trabalho Ambiental (EWG) e os produtos da Natura Brasil receberam a certificação Leaping Bunny. Outros rótulos fazendo progresso incluem Vegan, Halal, Non-GMO, bem como COSMOS e Natrue (rótulos naturais e orgânicos).

Varejo de beleza clean: A Credo Beauty (foto) já deixou sua marca nos EUA como uma varejista de beleza clean (no sentido de ser uma loja com marcas e produtos naturais, orgânicos, com pouca química sintética e afins). Mais varejistas desse tipo provavelmente abrirão suas portas na América do Norte e Europa. Ao mesmo tempo, varejistas de beleza mais convencionais estão inaugurando seções de "beleza limpa". Sephora e Space NK são dois desses varejistas dedicando espaço nas prateleiras aos produtos sem químicos agressivos em suas fórmulas. Marcas independentes continuarão ganhando popularidade, a varejista alemã Douglas anunciou, recentemente, planos para expandir sua gama de marcas independentes em sua rede de varejo europeia.

A força dos millennials: Os millennials já são alguns dos mais ávidos compradores de produtos naturais e orgânicos e exercerão maior influência,à medida que o poder de compras deles  seguir aumentando. Na medida em que compram mais de plataformas on-line, a Amazon e outros varejistas digitais ganharão mais participação no mercado em produtos naturais e éticos.

Compartilhe

Comentários ()

© 2012 • Cosmética News. Todos os Direitos Reservados • Desenvolvido por Index Software

Voltar ao topo