Gastões vs Gastões

A propensão ao consumo de brasileiros e norte-americanos é bem conhecida. Mas, quando o assunto é beleza, os gastos caminham em direções diferentes


Um estudo realizado pelo Centro de Análises, Modelo e Inovação (CAMI) da consultoria britânica Euromonitor, apontou hábitos e despesas contrastantes entre as consumidoras do Brasil e dos Estados Unidos. Apesar da renda média anual per capita de US$ 7,3 mil - menos de um quinto dos US$ 40 mil da obtida pelos norte-americanos - o gasto per capita atual dos brasileiros em dólares excede o dos EUA em categorias importantes do mercado de beleza, como haircare, perfumes, desodorantes e barbear. As brasileiras tendem a tratar o cabelo com mais frequência e de forma dedicada. O alto gasto em haircare foi ainda mais impulsionado pela introdução de produtos que contêm fórmulas melhores, como as que prometem entregar resultados de salão. As americanas, por sua vez, têm uma maior propensão para gastar com intens de cuidados faciais e maquiagem, além de itens de higiene bucal.

Para Nicholas Micallef, analista de Beleza e Cuidados Pessoais da consultoria, as diferenças são explicadas pela maneira com que cada um dos povos lida com os seus corpos. Enquanto no Brasil a enfâse se dá sobre “como em me sinto comigo mesma”, o que faz com que a consumidora consuma produtos para satisfazer a si própria principalmente, nos EUA, como parte de uma sociedade sofisticada, a auto-imagem tende a ser o fator mais importante, o que leva as pessoas a se produzirem para os outros, o que amplia oconsumo em categorias como oral care e anti-idade. Além disso, outras características demográficas e climáticas afeta a decisão de consumo nos dois países, como explica o analista. “Os produtos anti-idade são uma característica de um perfil demográfico de envelhecimento, uma tendência mais forte nos EUA. No Brasil, o clima quente induz os consumidores a usarem perfumes e desodorantes com mais frequência para se manterem frescos. De fato, o volume local do uso per capita de fragrância é o mais alto no mundo, em 180 ml per capita em 2013, dez vezes maior do que a média global.”

Em maquiagem, o gasto per capita das estadounidenses em 2013, de US$ 38, é duas vezes mais do que no Brasil (US$ 17). Nicholas explica que o resultado se deve em parte ao advento dos BB e CC creams, que levou as americanas a gastarem mais em ‘outros make-ups faciais’, devido aos seus benefícios hidratantes e anti-idade, aumentando a categoria em 107% em 2013. “Na verdade, o crescimento absoluto em 2012-2013 em “outros make-ups faciais” foi responsável por 42% do total do crescimento de maquiagem ao longo do mesmo período”, pontua.

Apesar disso, quando analisado sob um um contexto mais amplo, o gasto per capita do Brasil em maquiagem, como uma proporção da média do renda per capita disponível, é significativamente maior do que a dos EUA, em grande parte impulsionado por produtos para as unhas, em que o gasto per capita dos brasileiros, em US$ 5, é relativamente forte em relação aos americanos (US$ 4), o que sugere que os brasileiros estão dispostos a gastar mais em maquiagem, desde que tenham os meios para fazê-lo.

E é sempre bom lembrar que no Brasil os preços dos produtos, mesmo em termos absolutos, ou seja, ignorando o poder de compra das consumidoras dos dois países, costuma superar bastante os praticados nos Estados Unidos, o que acaba, infelizmente nesse caso, inflando os gastos por aqui.



Compartilhe

Comentários ()

© 2012 • Cosmética News. Todos os Direitos Reservados • Desenvolvido por Index Software

Voltar ao topo