Mercado de sabonetes: ensaboa, Brasil, ensaboa...

Benefícios adicionais e produtos mais sofisticados são os drivers para operar o crescimento da categoria de sabonetes no Brasil num futuro próximo
 

O mercado de sabonetes vem evoluindo positivamente no Brasil. Esses itens de higiene pessoal entraram definitivamente no dia a dia dos brasileiros e, hoje, o mercado nacional se apresenta favorável com um aumento de consumo. “Esse crescimento é devido a boa fase econômica que o País atravessa”, explica Norberto Kalmus, diretor da Guati, empresa instalada no município de Valinhos, no interior paulista, que entrou há pouco tempo no mercado de terceirização, mas já contabiliza excelentes resultados na fabricação de sabonetes para diversos players de projeção nacional.

A opinião é compartilhada por Rodrigo Papov, gerente de Marketing & Produtos da Leclair, companhia paranaense de São José dos Pinhais, que também atua no ramo da terceirização de cosméticos. “Nos  últimos anos, praticamente dobramos nosso volume de sabonetes prensados e, hoje, estamos buscando e conquistando novos parceiros que se identificam com nossa forma de trabalho e necessitam da qualidade de produto e acabamento que oferecemos, incluindo, entre eles, empresas de médio porte que consideram os sabonetes em barra um produto de importância em suas linhas de produtos e transformam esse item em um artigo presenteável e com um preço médio atraente ao consumidor. E esse mercado cresceu bastante principalmente com as empresas que atuam com venda direta por catálogo”, pontua o executivo.

Apesar de ainda representarem a maior categoria de produtos para banho e ducha, os sabonetes em barra descreveram uma espiral de queda na participação em volume e em valor durante o período compreendido entre 2006 e 2011 no Brasil. A informação vem de um recente relatório divulgado pelo Euromonitor. Segundo o estudo, um dos principais motivos do “colapso da barra” tem a ver com o aumento do consumo das versões líquidas dos sabonetes, incluindo-se aqui desde os sabonetes para lavagem das mãos e em gel para banho, até chegar aos produtos destinados à higiene íntima.

A análise do Euromonitor mostra que os sabonetes em barra passaram de uma participação de 87% das vendas em 2006 para 77% em 2011 em termos de valor, ao passo que todas as versões líquidas aumentaram de 11% em 2006 para 21% em 2011. Sem dúvida, as campanhas publicitárias, somadas a novos lançamentos e à inegável conveniência que tais produtos oferecem, serviram de mola para impulsionar as vendas de versões líquidas. Isso, sem falar que existe em trânsito atualmente uma dinâmica de sofisticação do uso de sabonetes, entre muitos outros itens da cesta de HPPC, orquestrado por um consumidor muito mais exigente e desejoso no Brasil por soluções mais “modernas” e “completas” de produtos. E, aos olhos dele, as versões líquidas parecem conseguir entregar melhor esses atributos, além de outros, não menos importantes, com hidratação, proteção e, de quebra, menor agressividade ao meio ambiente no pós-uso, o que os nossos rios e mares agradecem.

Aqui, vale abrir um parêntese para falar sobre a questão do hábito e das peculiaridades do mercado brasileiros. E quem o faz é Rodrigo, da Leclair: “Enquanto americanos e europeus mudaram seus costumes para sabonetes líquidos, o brasileiro ainda utiliza o sabonete em barra diariamente em seu ritual de higiene, seja ele fazendo parte da cesta básica e com o objetivo apenas de limpeza ou então um item nobre de luxo que transforma o banho em um momento único de relaxamento e beleza”, afirma.

Dinâmica de mercado
Tirante o embate entre versões em barra e líquidas, o mercado de sabonetes no Brasil se mostra estável e com viés de crescimento. É o que comprovam os dados da ABIHPEC relativos à movimentação da categoria entre os anos de 2011 e 2012. Após amargar uma queda de 5,04% em volumes produzidos em 2011, no comparativo com 2010, a fabricação desses itens cresceu 2,41 pontos percentuais no comparativo entre 2012 e 2011 (3,335.864,12 unidades contra 3.257.443,95, respectivamente). Já em valores, os resultados ao longo do período são mais expressivos: a indústria, que evoluiu 4,42% no ano de 2011 em relação a 2010, performou um avanço de 14,83 pontos percentuais no comparativo de 2012 contra 2011 – um salto nada desprezível, em valores ex-factory, de R$ 2.928.8666,61 para R$ 3.363.113,64 –, o que pode denotar claramente um aumento considerável de preços dos sabonetes também.

Entre os muitos players que atuam na categoria, a Unilever Brasil levou o troféu” de vendas de sabonetes no País  em 2012, repetindo uma participação estável de 25% no share de valor desses itens, praticamente a mesma registrada em 2011. Para garantir a liderança, segundo o Euromonitor, a empresa investiu recursos significativos na promoção das marcas-chave dentro de sua carteira, principalmente a LUX e a Dove. A múlti lançou uma nova versão de sua marca líder em sabonetes em barra LUX, o LUX Fragrâncias Finas, em março de 2012, disponíveis em três versões – Magical Spell, Secret Bliss and Dream Delight –, com fragrâncias florais e óleos essenciais exóticos que duram mais tempo sobre a pele, prolongando a sensação de banho tomado por até oito horas.

Novas fórmulas, nova roupagem
Atualmente há uma grande preocupação no desenvolvimento de novas matérias-primas, que visam, inicialmente, a melhorias significativas no produto final e também uma diminuição nos custos, seja por diminuição direta de custos, ou por aumento de produtividade. “Esses resultados são obtidos por meio da ótima parceria que conseguimos com nossos fornecedores e nosso laboratório”, destaca Anderson Rezende, também diretor da Guati.

Tal equação encontra eco também na Leclair. Por atender um grande número de clientes atuantes no mercado de luxo e prestígio, a empresa é procurada para pesquisar e desenvolver sabonetes que possuam formulações elaboradas, com apelos de hidratação, cremosidade, apresentando uma gama diversificada de matérias primas e ativos para a pele do corpo e do rosto. “Conseguimos resultados interessantes em sabonetes com cores vibrantes, brilhosos, efeitos perolizantes e marmorizados, entre outros. Ainda existem os produtos com elementos esfoliantes físicos naturais ou químicos, que dão um aspecto interessante ao produto e um ótimo apelo comercial”, destaca Rodrigo Papov.


                                                                                  Leia também: Mercado de sabonetes: vegetalizar ou não vegetalizar?



Outra característica que a empresa anota como novidade na percepção do consumidor é o formato e a apresentação dos sabonetes, que vêm ganhando gramaturas diferentes, que vão desde miniaturas com 15g  para ações de sampling, até “sabonetões” que, pasmem, chegam a quase meio quilo. Ainda no tocante a atratividade que os sabonetes exercem sobre os consumidores, Rodrigo destaca a crescente penetração dos sabonetes para tratamento no mercado brasileiro de alguns anos para cá. “Com a entrada de grandes marcas mundiais de produtos bactericidas no mercado brasileiro, muita coisa surgiu e o que antes era algo quase inacessível, hoje já faz parte do hábito diário de pessoas que buscam se proteger de agentes externos ou mesmo tratar e melhorar a pele acneica, oleosa, ressecada, entre outras”, situa o gerente da Leclair.

Benefícios adicionais e produtos mais sofisticados são os drivers para operar o crescimento da categoria de sabonetes no Brasil até 2016, de acordo com a previsão do Euromonitor. O estudo realizado por ele aponta que os consumidores tenderão a continuar sendo muito receptivos aos produtos que contêm ingredientes naturais e oferecem benefícios da pele, como hidratação, firmeza e nutrição. Esses itens com maior valor agregado, por sua vez, tendem a ser obviamente mais caros do que os produtos mais básicos. Mas, ao que tudo indica – incluindo-se aqui a dinâmica de continuidade da inserção de novos consumidores de classes de menor poder aquisitivo no mercado, e de aumento do interesse e da exigência pelos tais produtos mais “modernos e completos” – a dica que fica é que os fabricantes passem a se concentrar cada vez mais no desenvolvimento e na oferta de itens do tipo high-ended para esse público. E boa notícia é que muitos deles, de todos os portes, já estão fazendo isso.

É o caso, por exemplo, da gigante Colgate-Palmolive, uma das marcas líderes em cuidados pessoais no Brasil (Dado Nielsen - T.Brasil - Acum. Jan a Out12 - Sabonetes + Shampoo + Pós Shampoo), que acaba de renovar toda s sua linha de sabonetes líquidos para proporcionar uma experiência de banho única aos seus consumidores. Reformuladas, suas cinco variantes – Nutri-Milk, Aroma Therapy Relax, Romã, Coco e Algodão e Iogurte e Geléia Real – prometem propiciar momentos de cuidado especial, dando um show de fragrâncias e espuma, sem, é claro, esquecer o aspecto do tratamento de pele e o maior rendimento, outro atributo também muito bem visto pelo consumidor. “Com fragrâncias diferenciadas e ingredientes naturais, os novos sabonetes líquidos da Palmolive têm rendimento de até 50 banhos, quando utilizada a quantidade recomendada de 5ml e considerando a embalagem de 250ml. Basta aplicar essa pequena quantidade na esponja para ter um momento de relaxamento renovador, que ajuda a reter a hidratação natural da pele, deixando-a mais sedosa e macia”, garante Marcelo Cruzato, diretor de Marketing da marca.

Sabonete em pó

Outra marca que anuncia boas novidades aos consumidores na categoria é a EOS Cosméticos. A empresa acaba de lançar uma nova formulação para sua linha de sabonetes líquidos, composta pelas versões Amaretto, Lemon Cello, Ginger Ale e Curaçau Blue. Disponíveis em embalagens com 320ml, os produtos agora são enriquecidos com manteiga de karité, um excelente emoliente e regenerador celular natural, que hidrata e previne o envelhecimento da pele. Complementarmente, os sabonetes são formulados com água purificada enriquecida com oligoelementos, tensoativos suaves e agentes umectantes.
Para a empresária Mariângela Bordon, dona da marca, os lançamentos vêm para agradar e surpreender os clientes EOS, que estão sempre em busca de novidades para cuidarem da beleza e do bem estar. “Além da economia e da praticidade, o maior diferencial deste produto é seu potencial hidratante, pois, diferentemente do sabonete em barra, o líquido, durante o seu processo de fabricação, pode receber ingredientes com alto poder de hidratação e emoliência, como extratos vegetais, vitaminas, proteínas, oligoelementos e muito mais”, pontua. “É o caso da manteiga de karité tem grande poder hidratante, com propriedades que suavizam e reestruturam a pele. É um componente que pode e deve ser utilizado diariamente, pois além de impedir a desidratação, também protege a pele das agressões externas como os raios UVB e mudanças bruscas de temperatura”, reforça.

E não é só no conteúdo que a EOS quer surpreender o mercado. Ela procura fazer isso, também, na forma que seus sabonetes são apresentados aos consumidores. Prova disso é que a marca também acaba de colocar à disposição dos consumidores um sabonete em pó para mãos. Disponível em duas versões, Blue e Iron, o produto vem em uma embalagem com 200g e custa uma média de R$ 70. “É um produto que chegou para ficar. Estamos vendendo muito também como opção de presente, pois além da grande novidade que é o produto, a embalagem chama atenção pela sua modernidade e funcionalidade. É um cosmético coringa, que todo mundo gostaria de ter e ganhar”, acrescenta a empresária Mariângela.

Muito mais do que um perfume gostoso

Além das cores e formatos exuberantes, as frutas seduzem por conta de seus aromas particulares. Por isso, maçã verde, framboesa e morango são alguns dos principais perfumes usados em sabonetes, hidratantes e shampoos. Pensando fora da caixa, a Exceed Cosméticos – empresa familiar fundada em 1998 – foge do lugar-comum e investe na essência de frutas diferenciadas para enriquecer sua linha de sabonetes líquidos. São aromas que vão do cítrico ao adocicado, conforme a preferência do consumidor. Com ingredientes hidratantes e embalagens que são verdadeiros presentes, os Sabonetes Líquidos Kizz da Exceed Cosméticos garantem a limpeza e o frescor ideais para a higiene das mãos, deixando um leve e agradável perfume sem ressecar a pele, nas versões Kiwi, Frutas Vermelhas, Frutas Cítricas e Frutas da Amazônia. Os produtos são apresentados em frascos transparentes com 500ml ou 1,1 litro, com aplicador em válvula, podendo serem dispostos diretamente na bancada de banheiros e lavabos, ajudando a compor a decoração do ambiente.

Ainda buscando colher resultados na mesma “cesta”, outra que aposta na inspiração frutal é a EST, que lançou recentemente seu Sabonete Vegetal de Limão. Conhecida por suas propriedades energéticas, desintoxicantes e purificadoras – incluindo aí também, segundo a aromaterapia, atributos antissépticos, antidepressivos e antivirais, além de coagulantes –, a fruta foi acrescentada à formulação do produto, sob a forma de óleo vegetal, juntamente com óleos de palma e palmiste. Livre de matérias-primas de origem animal, o sabonete vegetal EST resgata a proteção natural da pele deixando-a suave e hidratada, alem de criar uma agradável sensação de bem-estar.

Receitas naturais de beleza, que proporcionam conforto e bem-estar, também integram a proposta dos sabonetes em barra da marca Le Couvent des Mininimes, do Grupo L’Occitane, entregando pele limpa, macia e perfumada, por meio de fórmulas e ingredientes com propriedades refrescantes, relaxantes e hidratantes, associados a texturas macias e fragrâncias suaves. As versões Energizante – com óleos essenciais de verbena e limão –, Relaxante – com óleo de lavanda e extrato acácia do Mediterrâneo – e Nutritivo – com mel e karité – são vendidas individualmente e comercializadas com exclusividade nas lojas do Pão de Açúcar localizadas em São Paulo, do Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza (CE) e pelo site da rede varejista.

Seguindo uma direção semelhante, a recifense Yes Cosmetics – dona um modelo de comercialização inovador, que combina venda direta com varejo, com presença nacional em aproximadamente 400 lojas –, acaba de ampliar sua linha Erva Doce, de produtos para as mãos, rosto e corpo, com o lançamento do Sabonete Líquido Corporal Esfoliante com Gengibre e Sabonete Líquido Facial com Aloe Vera. O primeiro promete uma pele macia graças às microesferas de jojoba e extrato de gengibre presentes em sua composição. Já o segundo traz na fórmula extratos que proporcionam refrescância, além de ativos que protegem, tonificam e acalmam a pele, deixando um suave perfume.

Compartilhe

Comentários ()

© 2012 • Cosmética News. Todos os Direitos Reservados • Desenvolvido por Index Software

Voltar ao topo